O sono traz inúmeros benefícios para a saúde. Ele reduz o estresse e o risco de depressão; melhora a função cognitiva, reduz inflamações e ajuda o corpo a evitar doenças. Porém, em meio à pandemia da COVID-19, está cada vez mais difícil ter uma boa noite de sono e muitas pessoas estão sofrendo com insônia, ou seja, a falta de sono na quarentena. No texto de hoje, vamos falar sobre como a pandemia está afetando o sono da população e o que fazer para driblar esse problema.

Sono na quarentena
Sono na quarentena

Como a pandemia do coronavírus está afetando a população

A pandemia do coronavírus não afeta a todos da mesma maneira. Obviamente, os pacientes com o vírus, os médicos, enfermeiros e todos os outros profissionais da linha de frente são impactados diariamente pela doença. No entanto, estamos vendo em todo o mundo, pessoas sofrendo devido a toda mudança que esse vírus trouxe.

Interrupção da vida diária

Distanciamento social, fechamento de escolas, quarentena, home office. Todas esses fatores trazem mudanças profundas nas rotinas de pessoas de todas as idades e classes sociais.

Pode ser difícil ajustar-se a uma nova programação diária ou à falta de uma.

Acompanhar o tempo e até o dia pode ser difícil sem “âncoras” comuns, como deixar as crianças na escola, chegar ao escritório, participar de eventos sociais recorrentes ou ir à academia.

Ficar preso em casa, especialmente se tiver baixos níveis de luz natural, pode reduzir os sinais baseados em luz para vigília e sono, conhecidos como zeitgebers (um termo científico para se referir a elementos chave ambientais capazes de regular um ciclo de relógio biológico), que são cruciais para o nosso ritmo circadiano (período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos).

 

Tentação do sono

Se você não está trabalhando no momento ou suas horas semanais foram diminuídas devido à COVID-19, você pode ficar tentado a dormir demais todas as manhãs. Dormir mais de sete a oito horas por noite pode dificultar muito mais na hora de acordar, mesmo se você usar um alarme. Pessoas que dormem demais também podem sentir-se grogue, irritável e sem foco ao longo do dia.

 

Ansiedade e preocupação

Na pandemia, as preocupações se tornaram abundantes. Muitas pessoas temem pegar o coronavírus porque não querem adoecer ou infectar outras pessoas. A maioria tem amigos próximos ou familiares mais velhos ou fazem parte dos grupos de alto risco, por causa de condições preexistentes, provocando preocupações com sua saúde e segurança.

As questões econômicas estão afetando quase todos também. À medida que as atividades param e as perdas de empregos aumentam, é normal se preocupar com renda, economia e sobrevivência.

Ainda há muitos fatos desconhecidos sobre essa pandemia – quanto à doença se espalhará, se os hospitais poderão lidar com a crise, quanto tempo durará o isolamento, quando a economia poderá se recuperar – e essa incerteza costuma trazer ansiedade que atrapalha o sono.

 

Depressão e isolamento

Essa crise pode gerar isolamento e depressão que podem ser ainda piores para pessoas que têm um ente querido que esteja doente ou que faleceu com a COVID-19. O luto e a depressão podem ser exacerbados pelo isolamento em casa, e sabe-se que ambos têm o potencial de causar problemas significativos no sono.

 

Maior estresse familiar e profissional

Muitas famílias estão sob estresse grave como resultado do coronavírus. Viagens canceladas, isolamento de amigos e uma abundância de tempo em casa podem colocar pressão sobre qualquer pessoa. Manter-se em dia com as obrigações de trabalhar em casa ou administrar um lar cheio de crianças acostumadas a frequentar a escola pode apresentar problemas reais, gerando estresse e discórdia que se mostraram barreiras para dormir.

 

Excesso de tempo de tela

Seja checando as notícias do seu telefone, participando de um Zoom com a família, assistindo à Netflix ou passando horas extras olhando para um computador enquanto trabalha em casa, o distanciamento social pode significar um grande aumento no tempo de tela.

O excesso de tempo na tela, especialmente no final da noite, pode ter um impacto negativo no sono. Não apenas pode estimular o cérebro de maneira que dificulte o relaxamento, mas a luz azul das telas pode suprimir a produção natural de melatonina, um hormônio que o corpo produz para nos ajudar a dormir.

 

Fadiga relacionada ao estresse

O estresse crônico de viver uma pandemia pode levar a uma série de sintomas físicos, incluindo dores de cabeça persistentes, lapsos de memória e problemas digestivos. A fadiga relacionada ao estresse é outro efeito colateral comum. Podemos definir a fadiga como “um estado quase constante de cansaço que se desenvolve ao longo do tempo e reduz sua energia, motivação e concentração”. Mesmo que você receba uma quantidade adequada de sono à noite, a fadiga ainda pode fazer com que você se sinta cansado e desmotivado pela manhã.

 

Por que o sono é importante durante uma pandemia?

O sono é um processo biológico crítico, e a verdade é que sempre é importante. Porém, ao enfrentar a pandemia de COVID-19, o sono se torna ainda mais essencial por causa de seus amplos benefícios para a saúde física e mental.

O sono capacita um sistema imunológico eficaz. Um descanso noturno sólido fortalece as defesas do corpo e estudos descobriram que a falta de sono pode tornar algumas vacinas menos eficazes. Portanto, um bom sono na quarentena traz os seguintes benefícios:

  1. O sono aumenta a função cerebral. Nossa mente funciona melhor quando dormimos bem, contribuindo para um pensamento complexo, aprendizado, memória e tomada de decisão. Para adultos e crianças que se adaptam ao trabalho e à escola em casa, um bom sono pode ajudá-los a permanecer atentos.
  2. O sono melhora o humor. A falta de sono pode irritar uma pessoa, diminuir seu nível de energia e causar ou piorar os sentimentos de depressão.
  3. O sono melhora a saúde mental. Além da depressão, estudos descobriram que a falta de sono está relacionada às condições de saúde mental, como transtorno de ansiedade, transtorno bipolar e Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT).
  4. Os especialistas concordam que obter um sono consistente e de alta qualidade melhora praticamente todos os aspectos da saúde, motivo pelo qual merece nossa atenção durante a pandemia de coronavírus.

Dicas para combater a insônia na quarentena:

O programa Fantástico, da Rede Globo, produziu uma matéria com o neurocientista Sidarta Ribeiro, que estuda há 25 anos a relação entre sono, sonho e memória. Ele dá dicas de como evitar que o estresse da pandemia interfira no sono e para driblar a insônia na quarentena. Se você não viu a matéria, nós mostramos aqui para você, é só clicar: Sono na quarentena

Conclusão

Se essas dicas para combater a falta de sono na quarentena não ajudarem a resolver seus problemas, ou se a insônia é algo que você já teve antes e está piorando, entre contato com seu médico. Muitos médicos estão aumentando a disponibilidade de consultas por vídeos para permitir que os pacientes discutam preocupações sem precisar visitar fisicamente o consultório. Uma boa noite de sono é importante para sua saúde geral e mental, portanto, combater a insônia é essencial durante a quarentena.

Uma boa noite de sono está diretamente relacionada a um bom colchão. Pensando nisso, a D’Sono Colchões desenvolveu uma linha de colchões terapêuticos especiais, aliando a mais alta tecnologia do mercado com os melhores conceitos e terapias de saúde do sono. Conheça nossos produtos. Acesse nosso site: https://www.dsonocolchoes.com.br/

× Available from 08:00 to 22:00